Portões da Antiga Dundren

dundren_ruins.jpg

Klowl repousa sua espada na pedra próxima ao que antigamente deveria ser uma estátua. Ao longe, avistava o grupo de Kobolds e Goblins compenetrados nas escavações e transporte de diversos achados. Nos últimos dias, conseguia sentir uma emanaçaõ de batalha, um tanto diferente da psionicas e mágicas comuns das ruinas. Decide então sentar-se e se concentrar nessa sensação.

Enconstando-se confortavelmente na pedra, começa a entrar num transe meditativo. Os sons das picaretas dos Kobolds e da gritaria Goblin vai ficando lentamente mais fraco, e sua mente começa a se transportar para um local distante.

Klowl então se encontra visualizando as majestosas muralhas de Dundren, o portão fechado, e um enorme exercito de Modrellianos e ao que parece demonios ou diabos cercando a cidade. As tropas de Dundren lutam bravamente, e um destacamento da batalha lhe chama a atenção: Um majestoso Anjo de asas negras e armadura decorada de rubis acaba de ser derrubado e em seguida tem o coração perfurado por um forte homem mascarado, armado de uma ranseur que brilha em verde. Esse mesmo brilho verde parece manter aprisionada uma belíssima criatura da floresta, porém castigada pelo decorrer da batalha.

Mal o anjo solta seu último suspiro, surge da direita, atropelando a linha de defensores Dunderianos um gigante do fogo em armadura negra como ônix, correndo em carga para o mascarado. Este porém esquiva do golpe e num piscar de olhos cresce até ficar maior que o gigante. Em seguida investe até ele o derruba, e com uma saraivada de golpes, dá cabo dele.

Nesse ponto, tudo parece ficar estático, como numa pintura perturbantemente real. Um vulto negro, totalmente desfocado aparece e procura por algo. Um forte cheiro de incenso paira no ar. As imagens vão se cortando, e seguem com a muralha caindo, os invasores avançando e saqueando a cidade. Em seguida, em uma praça com uma fonte, o mascarado confronta o homem de negro, com a imagem mudando para o primeiro derrotado ao chão, sua lança sendo arrancada e jogada ao longe, o mascarado ao que parece envelhecendo de maneira extremamente rapida até estar semi decrepito, o vulto de negro se afastando, porém ainda com o forte odor de incenso no ar.

O mascarado décrepito balbucia alguma coisa, os sons finalmente voltaram. Klowl se concentra e escuta ele dizendo “Ma…..ma…luf” antes de perecer.

Subitamente é tirado do transe. Pensa por alguns minutos no ocorrido e, olhando os trabalhadores, resolve mapear essa área mentalmente e pedir para no futuro os trabalhadores procurarem por vestigios do que chegou a ver.

Portões da Antiga Dundren

Loucura e Magia - Obsessão Sophuz